LINKS RECENTES
Loading...

A PORTA ORIENTAL, O TEMPLO EM JERUSALÉM E O ARREBATAMENTO DA NOIVA DO CORDEIRO

ESTUDOS BÍBLICOS

Na época da primeira vinda do Messias, havia 12 portas na cidade de Jerusalém, uma das quais era a “Porta Oriental” (Neemias 3:29). Esta porta, também chamada de “Porta Dourada”, era a única das 12 portas que dava acesso direto ao Templo de Jerusalém. Esta porta está de frente para o Monte das Oliveiras e era usada por Yeshua para ir ao Templo. Na ocasião da ascensão de Yeshua ao Céu, esta porta foi fechada e assim se mantem até os dias de hoje. Mesmo com a destruição do Templo de Jerusalém no ano 70 d.C, a Porta Oriental se manteve e se mantém conservada e fechada até os dias atuais, em cumprimento à Escritura de Ezequiel 44:1-3. Amados, neste estudo, trataremos da Palavra Profética contida nas Escrituras a respeito da Porta Oriental (Porta Dourada), do Templo de Jerusalém e de seus desdobramentos em nossas vidas. Boa leitura a todos.
A PORTA ORIENTAL, O TEMPLO EM JERUSALÉM E O ARREBATAMENTO DA NOIVA DO CORDEIRO

I – A PORTA ORIENTAL ESTARÁ FECHADA ATÉ A SEGUNDA VINDA DO MESSIAS 

Das 12 portas que existiam nos muros de Jerusalém, apenas uma se mantém fechada por ordem do Deus de Israel até os dias de hoje: a Porta Oriental (Porta Dourada). Vale frisar que esta Porta é citada quando da reconstrução dos muros de Jerusalém pelos judeus liderados por Neemias:

“Depois deles reparou Zadoque, filho de Imer, defronte da sua casa; e depois dele reparou Semaías, filho de Secanias, guarda da porta oriental.” (Neemias 3:29) 

Esta Porta Dourada era a única das 12 portas da muralha de Jerusalém que dava acesso direto ao

Templo, estando de frente para o Monte das Oliveiras e era usada por Yeshua para ir ao Templo. Observe na figura abaixo uma linha externa contornando a cidade de Jerusalém, representando a muralha da cidade com algumas de suas portas identificadas. Observe também na figura um retângulo interior - onde hoje está situado o Domo da Rocha (edifício muçulmano) – lugar onde existia e onde será reconstruído o Templo Judaico em Jerusalém. Observe que a Porta Dourada é a única que pertence aos muros da cidade de Jerusalém e também aos muros do retângulo interior onde se situava o Templo em Jerusalém.
  
Esta Porta Dourada se situa em frente ao Monte das Oliveiras e era exatamente por ela que o Messias entrava na cidade de Jerusalém e ia diretamente ao Templo. Abaixo, o mapa mais completo onde se pode verificar que a Porta Dourada (“Golden Gate”) fica em frente ao Monte das Oliveiras (Mount of Olives): 

Na ocasião da ascensão de Yeshua ao Céu, esta porta foi fechada e assim se mantem até os dias de hoje. Mesmo com a destruição do Templo de Jerusalém no ano 70 d.C pelo Imperador Romano Tito, a Porta Oriental se manteve e se mantém conservada e fechada até os dias atuais, em cumprimento à Escritura de Ezequiel 44:1-3. :

“Então me fez voltar para o caminho da porta exterior do santuário, que olha para o oriente, a qual estava fechada.

E disse-me o Senhor: Esta porta permanecerá fechada, não se abrirá; ninguém entrará por ela, porque o Senhor, o Deus de Israel [Yeshua em sua primeira vinda] entrou por ela; por isso permanecerá fechada.

Quanto ao príncipe, por ser príncipe [da Paz, o próprio Yeshua], se assentará nela para sempre, para comer o pão diante do Senhor [YHWH, o Eterno Pai]; pelo caminho do vestíbulo da porta entrará e por esse mesmo caminho sairá.” (Ezequiel 44:1-3) 

Na foto abaixo, temos a Porta Oriental (ou Porta Dourada), que tanto faz parte do muro de Jerusalém como fazia parte do Templo que existia na época da primeira vinda do Messias. Era exatamente por esta porta que o Messias entrava e saía da Cidade Santa.


Como se pode constatar na figura acima, não há soldados guardando esta porta, e ela tem se mantido fechada há quase 2000 anos. Mesmo durante os 400 anos em que Jerusalém esteve sob domínio dos muçulmanos do Império turco-otomano, a porta não foi aberta, se manteve e continuará lacrada até ser aberta diante do próprio Yeshua por ocasião de sua segunda vinda, sim, diante dEle, que é o próprio Príncipe da Paz (Isaías 9:6).

Milhões e milhões de pessoas no mundo, de diversos credos, além de muitos ateus, sabem que o Deus Israel determinou, através do homem de Deus, o profeta Ezequiel, que a Porta Oriental não poderia ser aberta por homem algum nem tampouco violada até que o Messias, Yeshua HaMashiach, a venha abrir e, por ela, entre e saia do Templo, quando de sua segunda vinda.

O Islã não precisaria nem de uma guerra para tentar desacreditar o Deus de Israel, bastaria violar a Porta Oriental que toda a Bíblia estaria desacreditada. E vale relembrar que não há nenhum soldado de Israel guardando a Porta Oriental.

Cada vez mais, no mundo, tem sido pregado e falado sobre o mistério da Porta Oriental. Muitos líderes mundiais, além de líderes de muitas religiões pagãs, sabem que bastaria violar a Porta Oriental para lançar a crença em Yeshua por terra. Mas NINGUÉM, nem islâmico, nem idólatra, nem budista, nem esotérico, nem pagão, nem ateu, nem nenhum espírito demoníaco, nem nenhuma arma, nem nenhum drone, nada, nada, nada, nem neste mundo, nem no Universo, nem nenhum dos falsos profetas que mentem dizendo que o Antigo Testamento (e, portanto, o livro de Ezequiel) não teria mais valor nos dias de hoje, enfim, NINGUÉM nem NADA pode abrir a Porta Oriental, exceto a própria Palavra de Deus no tempo nela determinado, porque a Palavra do Deus de Israel assim o disse e esta Palavra é que governa TUDO e TODOS, demonstrando ao Universo que: há um só Deus, o Deus de Israel, e que só há UM que a abrirá, Yeshua HaMashiach, quando de sua SEGUNDA vinda. É isto o que diz o texto santo e é assim que será cumprido.

II – OS MUÇULMANOS SABEM QUE A PORTA ORIENTAL SOMENTE SERÁ ABERTA PELO MESSIAS JUDEU

Praticamente todas as lideranças muçulmanas sabem a respeito da Escritura Sagrada que se encontra no Livro de Ezequiel de que somente o Messias Judeu entrará pela Porta Oriental (Porta Dourada). No entanto, ao invés de violá-la ou abri-la para tentarem desacreditar a Escritura, têm adotado pelos séculos outro tipo de postura.

No tempo em que Jerusalém era dominada pelos turcos otomanos, na época do Sultão Suleiman I, um estudioso muçulmano tomou conhecimento de outra profecia bíblica, envolvendo a Porta Oriental, a de Ezequiel 43:1-5, que trata exatamente do momento em que a Porta Oriental se abrirá para a entrada do Messias Judeu, Yeshua, ao Final da Tribulação para reinar o mundo a partir de Jerusalém. Eis o texto:

“Então me levou à porta, à porta que olha para o caminho do oriente.

E eis que a glória do Deus de Israel vinha do caminho do oriente; e a sua voz era como a voz de muitas águas, e a terra resplandeceu por causa da sua glória.

E o aspecto da visão que tive era como o da visão que eu tivera quando vim destruir a cidade; e eram as visões como as que tive junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto.

E a glória do Senhor entrou na casa pelo caminho da porta, cuja face está para o lado do oriente.

E levantou-me o Espírito, e me levou ao átrio interior; e eis que a glória do SENHOR encheu a casa.” (Ezequiel 43:1-5)

Sabedor desta profecia, Suleiman I, a fim de tentar evitar seu cumprimento, mandou, então, que esta porta fosse selada com uma espécie de alvenaria em algumas de suas partes. Ironicamente, selando ele esta porta, mal ele sabia que estaria, naquele momento, facilitando o cumprimento, na íntegra, da profecia de Ezequiel 44:1-3, que revela que a Porta Oriental estaria fechada até o retorno de Yeshua, que por ela entrará e sairá por ocasião de sua segunda vinda.

Tempos mais tarde, ainda tentando dificultar o cumprimento profético de Ezequiel 43:1-5, outros muçulmanos construíram um cemitério em frente à Porta Oriental, pois eles sabem da “mitzvot” (mandamento judaico) segundo a qual um sacerdote não pode passar por cima de um lugar onde esteja enterrado algum morto, pois de acordo com a Torá (Números 19:16), tal atitude tornaria o sacerdote impuro. E o Messias, Sumo Sacerdote Judeu, não poderia descumprir esta lei. E agora? Mas, muito curioso é que a Bíblia nos revela também que uma fenda se abrirá no Vale de Cedrom entre os Montes do Templo e da Oliveira, quando o Messias por ali regressar em sua segunda vinda (Zacarias 14:4). Desta forma, esta fenda seria a maneira gloriosa de remover este cemitério muçulmano e abrir definitivamente o caminho para a Porta Oriental que certamente se abrirá diante da glória de Yeshua, cumprindo Ezequiel 43:1-5. 

III – YESHUA, EM SUA ÚLTIMA IDA À JERUSALÉM ANTES DE SER CRUCIFICADO, DESCEU O MONTE DAS OLIVEIRAS, CRUZOU O VALE DE CEDROM E ENTROU PELA PORTA ORIENTAL, ACESSANDO DIRETAMENTE O PÁTIO DO TEMPLO 


Uma das Escrituras mais reveladoras sobre a pobreza do Messias, em sua primeira vinda, se encontra no Livro do profeta Zacarias: 

“Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre, e montado sobre um jumento, e sobre um jumentinho, filho de jumenta.” (Zacarias 9:9).

Esta profecia se cumpriu com a entrada triunfal de Yeshua em Jerusalém, onde seria crucificado. Acompanhando o texto, verificamos que o Messias antes de entrar em Jerusalém, primeiramente, chegou ao Monte das Oliveiras: 

“E aconteceu que, chegando perto de Betfagé, e de Betânia, ao monte chamado das Oliveiras, mandou dois dos seus discípulos,

Dizendo: Ide à aldeia que está defronte, e aí, ao entrar, achareis preso um jumentinho em que nenhum homem ainda montou; soltai-o e trazei-o.” (Lucas 19:29,30)

Em seguida, o Rei dos reis desce, humildemente, o Monte das Oliveiras sobre um jumentinho: 

“E trouxeram-no a Jesus; e, lançando sobre o jumentinho as suas vestes, puseram Jesus em cima.

E, indo ele, estendiam no caminho as suas vestes.

E, quando já chegava perto da descida do Monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos, regozijando-se, começou a dar louvores a Deus em alta voz, por todas as maravilhas que tinham visto,

Dizendo: Bendito o Rei que vem em nome do Senhor; paz no céu, e glória nas alturas.” (Lucas 19:35-38)

Tendo descido ao Vale do Cedrom e chegando próximo à Porta Oriental, o Messias se lamentou sobre a cidade, revelando que viriam dias em que a Cidade e o seu Templo seriam destruídos, pois NÃO RECONHECEU O TEMPO DE SUA VISITAÇÃO:

“E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela,

Dizendo: Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos.

Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todos os lados;

E te derrubarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação.” (Lucas 19:41-44)

Na sequência, o Messias entrou pela Porta Oriental direto no pátio do Templo, pois esta era a única porta da muralha de Jerusalém que dava acesso direto ao Templo:

“E, entrando no templo, começou a expulsar todos os que nele vendiam e compravam,

Dizendo-lhes: Está escrito: A minha casa é casa de oração; mas vós fizestes dela covil de salteadores.” (Lucas 19:45,46) 

IV – NO DIA EM QUE ASCENDEU AO CÉU, YESHUA, JUNTO COM SEUS DISCÍPULOS, PARTIU DE JERUSALÉM, PASSOU PELA PORTA ORIENTAL, E CHEGOU AO MONTE DAS OLIVEIRAS DE ONDE SUBIU AO PAI. APÓS ESTE EPISÓDIO, A PORTA ORIENTAL SE FECHOU, EM CUMPRIMENTO A EZEQUIEL 44 

Eis a narração da ascensão do Messias, no último dia de sua primeira vinda:

“E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que, disse ele, de mim ouvistes.

E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.

E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco.

Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.

Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado.” (Atos 1:4, 9-12)

Assim, regressando do Monte das Oliveiras de onde Yeshua subiu ao Céu, os apóstolos voltaram para Jerusalém, sabendo que, do mesmo modo que Yeshua havia subido, Ele retornaria. Após este episódio, a Porta Oriental se fechou. Vamos tratar no tópico a seguir do retorno de Yeshua ao planeta Terra por ocasião de sua segunda vinda ao Final da Tribulação. 

V – EM ZACARIAS CAP. 14, É DESCRITA A SEGUNDA VINDA DE YESHUA SOBRE O MESMO MONTE DAS OLIVEIRAS, OCASIÃO EM QUE, NA SEQUÊNCIA, ANIQUILARÁ O ANTICRISTO E AS NAÇÕES INIMIGAS DE ISRAEL PARA, EM SEGUIDA, CUMPRIR EZEQUIEL CAPS. 43 E 44, ENTRANDO EM JERUSALÉM PELA PORTA ORIENTAL QUE, ENTÃO SE ABRIRÁ, APÓS DOIS MIL ANOS 

Observe, em Zacarias 14:4, que os pés do Rei dos reis, em sua segunda vinda, repousarão sobre o Monte das Oliveiras, no mesmo lugar a partir do qual subiu ao céu há quase dois mil anos. Naquele dia, após uma mui rápida batalha do Armagedom em que aniquilará o Anticristo e as nações que participarem do cerco à Jerusalém, Yeshua junto com sua Esposa (a igreja que foi arrebatada sete anos antes) descerá pela encosta do Monte das Oliveiras que estará fendido conforme previsto no próprio verso 4, atravessará o Vale de Cedrom e, em seguida, a Porta Oriental, cumprindo plenamente a Sagrada Escritura de Ezequiel caps. 43 e 44. Eis o texto do livro de Zacarias:

“Eis que vem o dia do SENHOR, em que teus despojos se repartirão no meio de ti.

Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas; e metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o restante do povo não será extirpado da cidade.

E o Senhor sairá, e pelejará contra estas nações, como pelejou, sim, no dia da batalha.

E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade dele para o sul.

E fugireis pelo vale dos meus montes, pois o vale dos montes chegará até Azel; e fugireis assim como fugistes de diante do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá. Então virá o Senhor meu Deus, e todos os santos contigo.” (Zacarias 14:1-5) 

Lembrando que os santos do verso 5 acima são exatamente os que serão arrebatados por pertencerem à Noiva do Cordeiro (que nesta ocasião, ao fim da Tribulação, já será a Esposa do Cordeiro). Na sequência do texto, também é revelado que o Messias reinará sobre toda a Terra. Glórias ao Seu Nome:

“E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome.

E habitarão nela, e não haverá mais destruição, porque Jerusalém habitará segura.” (Zacarias 14:9,11)

A batalha do Armagedom será a batalha mais rápida que já existiu em toda a História da Humanidade. Simplesmente, Yeshua HaMashiach ferirá todos os povos que guerrearem contra Jerusalém com uma única praga: serão todos simplesmente desintegrados estando ainda de pé. A expressão chave é “estando eles em pé”, ou seja, sua desintegração será mais rápida do que o tempo de uma queda de um homem atingido mortalmente. Será uma batalha relâmpago. Eis o texto de Zacarias 14:12:

“E esta será a praga com que o Senhor ferirá a todos os povos que guerrearam contra Jerusalém: a sua carne apodrecerá, estando eles em pé, e lhes apodrecerão os olhos nas suas órbitas, e a língua lhes apodrecerá na sua boca.” (Zacarias 14:12)

Tal como José do Egito se emocionou ao rever seus irmãos (Gênesis 45:1-3), Yeshua estará grandemente emocionado em poder reencontrar pessoalmente com seu povo escolhido, o remanescente fiel de Israel que terá sido purificado na Tribulação, o qual invocará o seu Nome e, então, o Messias o ouvirá, naquele grande dia, conforme previsto em Zacarias 13:8-9:

“E acontecerá em toda a terra, diz o Senhor, que as duas partes dela serão extirpadas, e expirarão; mas a terceira parte restará nela.

E farei passar esta terceira parte pelo fogo, e a purificarei, como se purifica a prata, e a provarei, como se prova o ouro. Ela invocará o meu nome, e eu a ouvirei; direi: É meu povo; e ela dirá: O Senhor é o meu Deus.” (Zacarias 13:8,9)

E então será dado início ao Milênio de Paz, e, nesta nova dispensação, todas as nações terão de celebrar as sete festas do Eterno previstas em Levítico 23, sob pena de serem julgadas pelo Messias com a falta de chuva em suas terras, o que certamente gerará fome e outros danos decorrentes. Eis, na sequência do texto de Zacarias 14, o registro de que a festa dos tabernáculos é dada como exemplo da observância das festas do Eterno durante os 1000 anos de paz:

“E acontecerá que, todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém,subirão de ano em ano para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos.

E acontecerá que, se alguma das famílias da terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, não virá sobre ela a chuva.

E, se a família dos egípcios não subir, nem vier, não virá sobre ela a chuva; virá sobre eles a praga com que o Senhor ferirá os gentios que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos.” (Zacarias 14:16-18) 

Também durante o Milênio de Paz, haverá sacrifício de animais no Templo em Jerusalém, conforme previsto em Zacarias 14:20-21, texto este em que é revelado que haverá animais cozidos nas panelas da Casa do Senhor. Vale destacar que estes sacrifícios não terão finalidade de expiar pecados pois isto já foi feito uma única vez pelo próprio Senhor, nosso Sumo Sacerdote Yeshua, conforme Hebreus 7:26-27. A seguir, o texto de Zacarias 14:20-21:

“Naquele dia será gravado sobre as campainhas dos cavalos: SANTIDADE AO SENHOR; e as panelas na casa do SENHOR serão como as bacias diante do altar.

E todas as panelas em Jerusalém e Judá serão consagradas ao Senhor dos Exércitos, e todos os que sacrificarem virão, e delas tomarão, e nelas cozerão. E naquele dia não haverá mais cananeu na casa do Senhor dos Exércitos.” (Zacarias 14:20,21)  

VI – A PORTA ORIENTAL SE MANTEM FECHADA PELO ETERNO POR CERCA DE 2000 ANOS. SE POR UM LADO, ISRAEL NÃO RECONHECEU O TEMPO DE SUA VISITAÇÃO NA PRIMEIRA VINDA DO MESSIAS; POR OUTRO LADO, A IGREJA TAMBÉM NÃO TEM RECONHECIDO QUE É CHEGADO O TEMPO DE SUA VISITAÇÃO 

VI.1 ISRAEL NÃO RECONHECEU O TEMPO DE SUA VISITAÇÃO NA PRIMEIRA VINDA DO MESSIAS. OS LÍDERES NÃO SE IMPORTAVAM EM SANTIFICAR O TEMPLO DO ETERNO, ANTES TRANSFORMARAM A CASA DO SENHOR EM LUGAR DE NEGÓCIOS.

Era dramática a situação de Israel por ocasião da primeira vinda do Messias. Os líderes religiosos da época, os fariseus e os escribas, se ocupavam tão-somente em transformar a Casa do Senhor em lugar de negócios para benefícios pessoais. Era tal a situação, que Yeshua teve de expulsar os cambistas do Templo do Eterno (cujo modelo se encontra na foto abaixo), tanto no início de seu ministério como no final.



No início de seu Ministério:

“E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém.

E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e os cambiadores assentados.

E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas;

E disse aos que vendiam pombos: Tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de venda.” (João 2:13-16)

E também no fim de seu Ministério, dias antes de ser crucificado:

“E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas;

E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões.” (Mateus 21:12,13)

Em outra oportunidade, Jesus julgou os fariseus publicamente, condenando sua hipocrisia ao pretenderem transformar o Templo em lugar de lucro pessoal.

Pois davam mais importância ao ouro do Templo do que ao próprio Templo do Eterno:

“Ai de vós, condutores cegos! pois que dizeis: Qualquer que jurar pelo templo, isso nada é; mas o que jurar pelo ouro do templo, esse é devedor.

Insensatos e cegos! Pois qual é maior: o ouro, ou o templo, que santifica o ouro?” (Mateus 23:16-17)

Também davam mais importância à oferta do que o altar do Templo do Eterno:

“E aquele que jurar pelo altar isso nada é; mas aquele que jurar pela oferta que está sobre o altar, esse é devedor.

Insensatos e cegos! Pois qual é maior: a oferta, ou o altar, que santifica a oferta?” (Mateus 23:18-19)

Pois davam mais importância ao dízimo do que o juízo, a misericórdia e a fé. No entanto, em seguida, o Messias os chama de insensatos e cegos, advertindo-os que, para Deus, o dízimo tem a importância de um mosquito, mas o juízo, a misericórdia e a fé têm a importância de um camelo, muitíssimo mais expressiva do que a de um mero mosquito:

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.

Condutores cegos! que coais um mosquito [o dízimo] e engolis um camelo [o juízo, a misericórdia e a fé].” (Mateus 23:23,24)

Os fariseus se importavam com dízimos, ofertas e ouro em detrimento da santificação do Templo, do altar e das Escrituras que tratam do juízo, da misericórdia e da fé. Será que há alguma diferença entre os fariseus da primeira vinda do Messias e alguns líderes cristãos dos dias atuais?


VI.2 DA MESMA FORMA, A IGREJA DE HOJE NÃO TEM RECONHECIDO O TEMPO DE SUA VISITAÇÃO DIANTE DO IMINENTE ARREBATAMENTO


OS LÍDERES NÃO SE IMPORTAM MAIS EM MINISTRAR SANTIFICAÇÃO PARA OS MEMBROS DA IGREJA, TRANSFORMANDO-OS EM OBJETO DE NEGÓCIOS EM UM INESCRUPULOSO E OSTENSIVO CULTO A MAMOM, DISFARÇADO SOB O NOME DE CULTO DA PROSPERIDADE.

Tal como na primeira vinda do Messias, em que os fariseus transformaram o Templo de Jerusalém em lugar de negócios para seu proveito pessoal, assim também muitos líderes das igrejas nos dias atuais se utilizam dos fiéis como objeto de negócios em suas intermináveis campanhas e cultos da prosperidade, enganando o povo e transformando o culto cristão num verdadeiro culto a Mamom. Sobre os atuais líderes cristãos defensores da Teologia da Prosperidade escreveu o próprio Messias, além de seus apóstolos:

Yeshua assim avisou sobre os lobos devoradores que hoje se disfarçam de ovelhas:

“Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.” (Mateus 7:15)

Yeshua também ensinou que a vida de qualquer um NÃO CONSISTE NA ABUNDÂNCIA DO QUE POSSUI. Em outras palavras, Yeshua avisou que não está neste negócio de culto da prosperidade. Eis o texto: 

“E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui.” (Lucas 12:15)

Também o apóstolo Pedro se manifesta a respeito da cobiça dos pastores da prosperidade e sobre suas histórias inventadas para enganar o povo: 

“Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade. Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram. Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda." (2 Pedro 2:2-3) 

Em muitas de suas epístolas, o apóstolo Paulo também condenou os obreiros fraudulentos, alguns dos quais até se intitulam de “apóstolos”, aos quais Paulo se refere como sendo ministros de Satanás:

“Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.

E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.

Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.” (2 Coríntios 11:13-15) 

VII – AS ESCRITURAS REVELAM QUE QUEM ESTIVER FOCADO NAS RIQUEZAS DESTE MUNDO, NÃO PARTICIPARÁ DO ARREBATAMENTO DA NOIVA DO CORDEIRO 


São várias as Escrituras que revelam que a Igreja infiel, ou seja, aquela que não será arrebatada, estará envolvida com os cuidados e riquezas deste mundo e, portanto, plenamente despercebida na época do Arrebatamento da Noiva do Cordeiro, pois não reconhecerá o tempo de sua visitação. Vejamos alguns textos.

Em Apocalipse 3:14-21, o Messias revela e julga o pecado da Igreja de Laodicéia, figura representativa da igreja voltada para os cultos da prosperidade de nosso tempo: foco nas riquezas (no ouro do deus Mamom), na imoralidade sexual (precisa de vestes para que esconda a vergonha de sua nudez), além de total cegueira quanto à iminente chegada no Noivo. Eis o texto:

“Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;

Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.” (Apocalipse 3:17,18)

Na sequência do texto, o Messias revela que assim age, pois repreende e castiga a todos quantos ama, estando Ele ainda à porta e nela batendo, na esperança de que alguém ouça sua voz, abra a porta e possa recebê-lo para a ceia: 

“Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.

Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” (Apocalipse 3:19,20)

No entanto, a Igreja infiel estará focada nas riquezas, enfeitiçada pelos seus líderes em seus cultos de prosperidade, líderes estes os quais, na verdade, são lobos devoradores na Palavra do próprio Messias (Mateus 7:15). Representada pelas cinco virgens insensatas de Mateus 25:1-13, a Igreja infiel tentará se preparar para encontrar o Esposo. Mas já será tarde. Com a porta de seu coração sendo aberta, diariamente, para as riquezas deste mundo pelos infindáveis cultos da prosperidade e, consequentemente, estando, desta forma, fechada para as Palavras de Yeshua, tentará a Igreja infiel, no tempo de sua visitação, ainda abrir a porta para Yeshua, mas Este não poderá entrar, pois lá estará o seu antigo morador: Mamom. Assim, esta Igreja infiel não será arrebatada por Yeshua, pois não estará preparada para encontrar o Esposo, já que cotidianamente se deixou ser enganada pelos seus líderes que apresentavam a doutrina de Mamom como se fosse a doutrina de Yeshua. Em uma última e desesperada tentativa, baterá à porta de Yeshua, mas, desta vez, quem não abrirá a porta será o próprio Messias. Eis o texto:

“Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro.

Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas.

E as insensatas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam.

Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós.

E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.

E depois chegaram também as outras virgens, dizendo: Senhor, Senhor, abre-nos.

E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço.” (Mateus 25:6-12) 

Hoje, Yeshua ainda está à porta e nela bate - a fim de que a Igreja infiel abandone Mamom e os cultos da prosperidade - como descrito em Apocalipse 3:17-20. Mas chegará o tempo - e este já se aproxima a galope - que a Igreja infiel será deixada para trás e irá tentar encontrar Yeshua, mas encontrará a porta dEle fechada, como descrito em Mateus 25:6-12. Será tarde para a Igreja infiel: a Noiva Fiel já terá subido ao encontro do Messias e a porta estará fechada.

Este mesma profecia se encontra em outra Escritura. No Livro de Cantares, a Igreja infiel hesita preocupada com seu conforto pessoal e acaba por não abrir sua porta para o Noivo quando este chega para buscá-la. Da mesma forma como relatado acima, a Igreja infiel então tenta buscar o Noivo, mas não O encontra. No lugar do Noivo, encontra homens que a espancam, pois terá ficado para trás e já estará mergulhada na Tribulação. Eis o texto:

“Eu dormia, mas o meu coração velava; e eis a voz do meu Amado que está batendo: abre-me, minha irmã, meu amor, pomba minha, imaculada minha, porque a minha cabeça está cheia de orvalho, os meus cabelos das gotas da noite.

Já despi a minha roupa; como a tornarei a vestir? Já lavei os meus pés; como os tornarei a sujar?

O meu Amado pôs a sua mão pela fresta da porta, e as minhas entranhas estremeceram por amor dele.

Eu me levantei para abrir ao meu Amado, e as minhas mãos gotejavam mirra, e os meus dedos mirra com doce aroma, sobre as aldravas da fechadura.

Eu abri ao meu Amado, mas já o meu Amado tinha se retirado, e tinha ido; a minha alma desfaleceu quando ele falou; busquei-O e não O achei, chamei-O e não me respondeu.

Acharam-me os guardas que rondavam pela cidade; espancaram-me, feriram-me, tiraram-me o manto os guardas dos muros.” (Cantares 5:2-7)

A doutrina da prosperidade está centrada nos prazeres deste mundo, no conforto a todo custo. Quando o Messias chegar e bater à porta da Igreja infiel, seu coração não estará em Yeshua, mas estará nas riquezas, estará em Mamom, pois, como vimos no texto acima, sua primeira preocupação será com em seu bem-estar pessoal neste mundo: “Já despi a minha roupa; como a tornarei a vestir? Já lavei os meus pés; como os tornarei a sujar?” (verso 3). Somente depois, ela se dará conta que estará acontecendo o Arrebatamento da Noiva do Cordeiro, mas já será tarde. Ficará para trás e estará na Tribulação, não mais no conforto de seu aposento, mas sendo espancada na rua pelos guardas que rondam a cidade, e o pior: perderá seu manto de Noiva, terá perdido sua Glória. 

VIII – ALGUM TEMPO DEPOIS DA PRIMEIRA VINDA DO MESSIAS, O TEMPLO DE JERUSALÉM FOI DESTRUÍDO PELAS TROPAS COMANDADAS PELO GENERAL ROMANO TITO. DA MESMA FORMA, ALGUM TEMPO DEPOIS DO ARREBATAMENTO, AQUELES QUE FICAREM TERÃO SEUS CORPOS (TEMPLOS) JULGADOS PELO ANTICRISTO 

O Templo de Jerusalém foi profanado pela ganância dos fariseus, líderes religiosos da época da primeira vinda do Messias. Em razão disto, Yeshua revelou que não ficaria pedra sobre pedra que não fosse derrubada:

“E, dizendo alguns a respeito do templo, que estava ornado de formosas pedras e dádivas, disse:

Quanto a estas coisas que vedes, dias virão em que não se deixará pedra sobre pedra, que não seja derrubada.” (Lucas 21:5,6)

E efetivamente a cidade e o Templo de Jerusalém foram destruídos pelas tropas comandadas pelo General Romano Tito no ano 70 d.C., em cumprimento à Palavra do Messias. 

Por outro lado, a Escritura revela que o corpo de cada crente em Yeshua é templo do Espírito Santo e que, portanto, cada um deve glorificar a Deus através de seu corpo:

“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?

Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” (1 Coríntios 6:19,20)

Uma das maneiras de se glorificar a Deus através do corpo é por meio da santificação. Ou seja, dizer “não” ao mundo e dizer sempre “sim” ao Eterno:

“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.

E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” (1 João 2:15-17)

Cada um que pertence à Noiva do Cordeiro haverá de se conservar sempre irrepreensível no corpo, na alma e no espírito até a vinda do Messias, glorificando, assim, a Deus através de seu corpo, em cumprimento ao mandamento do Eterno:

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1 Tessalonicenses 5:23)

Isto é santificação: conservar o corpo, a alma e o espírito irrepreensíveis para a vinda do Cordeiro.

No entanto, aquele ou aquela que pertence à Igreja infiel não buscará santificar seu corpo: seu coração está ocupado com os prazeres e riquezas deste mundo (engano que é alimentado a cada culto da prosperidade). Além da prostituição espiritual com às riquezas, vale ressaltar que a imoralidade sexual que permeia em alguns círculos cristãos revela a situação calamitosa de trevas densas em que se encontra a Igreja infiel. Em face desta dramática situação, caso não se arrependa, não lhe restará outro destino: será deixada para trás e sofrerá as graves consequências de sua conduta contrária aos mandamentos do Eterno. 

Assim sendo, os que compõem a Noiva do Cordeiro, por terem glorificado a Deus através de seu Corpo que é o Templo do Espírito Santo, serão arrebatados a encontrar o Messias nos ares antes da Tribulação.

Por outro lado os que pertencerem à Igreja infiel ficarão para a Tribulação, e, se desejarem entrar nos tabernáculos eternos, terão observar o princípio divino de glorificar a Deus com seus corpos. Destes, o Eterno exigirá, de acordo com as Escrituras, que rejeitem o sinal do Anticristo, mais conhecido como a marca da besta, resistindo até a morte para, assim, glorificarem a Deus com seu corpo.

Desta forma, após o Arrebatamento, o Anticristo obrigará que todos os habitantes da Terra recebam um sinal na testa ou na mão direita para que somente possam comprar ou vender os que tiverem o sinal da besta. Os que o recusarem serão sentenciados à morte pelo Anticristo:

“E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.

E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas,

Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.” (Apocalipse 13:15-17)

Se, por um lado, a Escritura revela que o Anticristo exige no capítulo 13 do Apocalipse que cada um receba o sinal da besta; por outro lado, no capítulo seguinte, o Eterno decreta que qualquer que receber o sinal do Anticristo não terá direito mais à salvação, pois o seu tormento será para todo o sempre. Eis a Escritura:

“E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão,

Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro.

E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome.” (Apocalipse 14:9-11)

Sabendo que a recusa da marca da besta pelos que ficarem significará a morte, o Espírito Santo os incentivará a seguirem o caminho que lhes está proposto pelo Eterno para que, cumprindo o princípio divino de glorificarem a Deus com seus próprios corpos, sejam fiéis até morte para receberem a coroa da vida:

“Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.

E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito Santo, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem.” (Apocalipse 14:12,13)

O próprio Messias incentiva a estes que ficarem, em sua carta à igreja de Esmirna, esta que é uma perfeita figura da igreja que, embora não venha a ser arrebatada, glorificará a Deus na Tribulação:

“Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.” (Apocalipse 2:10) 

IX – A PORTA ORIENTAL, QUE DAVA ACESSO AO MESSIAS PARA ENTRAR NO TEMPLO DE JERUSALÉM, É UMA PERFEITA FIGURA DA PORTA (ORIENTAL) DO NOSSO CORAÇÃO QUE DÁ ACESSO AO MESSIAS PARA QUE POSSA ENTRAR NO TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO QUE CORRESPONDE AO CORPO DE CADA UM NÓS 

A Porta Oriental, que dava acesso ao Templo em Jerusalém, se encontra fechada há quase dois mil anos, em cumprimento a Ezequiel 44:1-3, período em que Israel (como nação) ainda mantem fechada a porta de seu coração para Yeshua, não tendo reconhecido, assim, o tempo de sua visitação quando da primeira vinda do Messias. Quando Israel reconhecer que Yeshua é o Messias, ao final da tribulação, então a Porta Oriental de Jerusalém se abrirá.

A Porta Oriental de Jerusalém é uma perfeita figura da porta (oriental) do nosso coração, a qual dá acesso a Yeshua para que possa entrar no Templo do Espírito Santo que corresponde ao corpo de cada um nós.

Muitos judeus e gentios hoje, como templos do Espírito Santo, farão parte da Noiva do Cordeiro que será arrebatada antes da Tribulação, pois não somente terão reconhecido Yeshua como o Messias, como também terão glorificado ao Eterno através de seus corpos, mantidos afastados das prisões da imoralidade sexual e do culto às riquezas, reconhecendo o tempo de sua visitação que se aproxima a galope. Assim, cada um, no presente tempo, deve manter aberta a porta de seu coração - a porta oriental do templo que cada um de nós representa - para que o Messias possa ali entrar e cear.

Observe a seguir o paralelo entre a Porta Oriental de Jerusalém e a porta de nossos corações (a porta oriental do templo que cada um de nós representa).

Primeiramente, observe que o Messias, quando entrar pela Porta Oriental ao final da Tribulação, para celebrar seu reencontro com Israel como nação, irá nela cear para sempre diante do Pai: 

“Então me fez voltar para o caminho da porta exterior do santuário, que olha para o oriente, a qual estava fechada.

E disse-me o Senhor: Esta porta permanecerá fechada, não se abrirá; ninguém entrará por ela, porque o Senhor, o Deus de Israel entrou por ela; por isso permanecerá fechada.

Quanto ao príncipe, por ser príncipe [da paz, ou seja, o Messias], se assentará nela para sempre, para comer o pão diante do Senhor [o Pai Eterno]; pelo caminho do vestíbulo da porta entrará e por esse mesmo caminho sairá.” (Ezequiel 44:1-3)

Da mesma forma, Ele está à porta de cada coração (que representa a porta oriental que cada um possui), nela batendo para que, quando aberta, possa entrar e cear no templo do Espírito Santo que cada um de nós representa:

“Eis que estou à porta [oriental representada pelo seu coração], e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa [templo], e com ele cearei, e ele comigo.” (Apocalipse 3:20)

Aqueles, que estiverem com a porta de seu coração aberta para o Messias em santificação, serão arrebatados e recebê-lo-ão naquele grande dia, quando farão parte da Esposa do Cordeiro, pois não serão confundidos quando Ele se manifestar ao toque da última trombeta. 

X – CONSIDERAÇÕES FINAIS 

Amados, a Porta Oriental (foto abaixo) é um sinal não somente para Israel, mas para todas as nações. O Deus de Israel a mantem fechada. Nenhum homem, ou país, ou quem quer que seja, poderá violá-la, até que se cumpra a Palavra Profética de Ezequiel caps. 43 e 44, ao final da Tribulação.


Ela também é um sinal de que tanto Israel rejeitou o Messias em sua primeira vinda como os gentios têm rejeitado o Messias na iminência de sua segunda vinda. Todavia, o remanescente de Israel reconhecerá Yeshua como Messias ao Final da Tribulação e, no Milênio, será, para o Eterno, nação santa e reino de sacerdotes, em cumprimento à Escritura de Êxodo 19:6.

Mas antes de se cumprir a excelente promessa reservada à Israel como nação, o Messias arrebatará a sua Noiva, formada por judeus e gentios que terão mantido aberta a porta de seus corações ao Noivo, aguardando e ansiando pela sua volta.

Em suma, sejamos como as virgens prudentes que cumprem o princípio divino de glorificar a Deus com seus próprios corpos, templos do Espírito Santo, com base na santificação, afastando-nos da imoralidade sexual e do culto às riquezas que, lamentavelmente, maculam parte das igrejas atualmente. Se assim procedermos, honrando o templo do Espírito Santo, faremos parte da Noiva do Cordeiro que será arrebatada, e teremos nossos corpos transformados em corpos glorificados, pois teremos atendido ao princípio divino, ressaltando-se, portanto, que somente terá corpo glorificado por ocasião do Arrebatamento, quem antes tiver glorificado ao Eterno com a santificação de seu corpo como templo do Espírito Santo.

Que Deus os abençoe!
(Arrebatamento.net)

0 comentários: